Ads Top

7 coisas que você não sabia sobre o misterioso projeto Manhanttan

A mobilização de cientistas, militares, engenheiros e muitos outros profissionais especializados para a construção das bombas na Segunda Guerra Mundial apavorou famílias do mundo inteiro. Para sanar a curiosidade de muitos, a sede do projeto Manhattan tinha localização no Novo México e a primeira bomba criada recebeu o nome de Trinity. A invenção foi semelhantes às bombas lançadas em Hiroshima e Nagazaki.

Muitos mistérios envolveram esse projeto que, por incrível que pareça, tinha o objetivo de acabar com a possibilidade de uma nova guerra. Mas a corrida por poder e destruição se prolongou por um bom tempo. A preocupação no desenvolvimento dessa nova arma é fruto de uma carta feita por Leo Szilard na qual alertava o presidente dos EUA, Franklin D. Roosevelt, que a Alemanha estava produzindo novas armas nucleares.

1 – Um convite da Inglaterra

Se você acha que os EUA estavam totalmente à frente das pesquisas nucleares, leia bem essa informação. Em 1939, o governo britânico já havia sido alertado sobre a possibilidade dos estudos das bombas. Com uma invenção capaz de ser transportada no avião, o primeiro ímpeto foi compartilhar a função das informações com os americanos. O avanço das investigações britânicas surpreenderam os EUA percebendo os passos atrás ainda na corrida armada dos países.

2 – Segredos na Secretaria

Apesar de ser um tema extremamente masculino, mulheres se envolveram na pesquisa. Para disfarçar as participações dessas pesquisadoras, as mesmas recebiam cargos de secretária, mas a principal função era elaborar cálculos feitos à mão para contribuição das invenções. Foram centenas de mulheres empregadas nesses projetos.

3 – Manhattan

Com tantos lugares para manter o projeto, por que Manhattan? Simples. Ali se concentrava uma grande comunidade científica graças à Universidade de Columbia e a Divisão do Atlântico Norte do Corpo de Engenheiros do Exército. E era também lá que estava o principal escritório, empreiteiro do projeto.

4 – Clã Clandestino

A postura altamente rígida para manter as informações secretas foi importante para que não vazasse nenhuma ajuda aos inimigos. Mas, mesmo com todo a segurança do projeto Ethel Rosenberg e seu marido conseguiram passar dados importantes para o soviético Alexander Feklisov. Acusados de traição, a punição para a traição do casal foi a morte.

5 – Destruição pronta e total

A guerra já havia acabado na Europa, mas no Japão o término não tinha previsão. Na Conferência de Potsdam, em 1945, os EUA mandaram uma mensagem para os japoneses garantindo que a nova “arma” criada garantiria total destruição se a nação permanecesse com o confronto.

6 – O Comité Provisório

Hiroshima e Nagasaki não foram uma escolha aleatória dos americanos. A decisão veio de reuniões que tinham em mente evitar ataques em cidades que tivessem prisioneiros dos EUA. O diálogo sobre o ataque foi realizado em Nova York, e só pôde ter continuidade quando os britânicos se retiraram das intervenções.

7 – Einstein

Por mais que associem, Albert Einstein não teve contribuição direta na invenção da bomba atômica. O físico foi obrigado a assinar a carta convite. A decisão do envio pelo governo britânico para o presidente Roosevelt se deu por questões de credibilidade. Ao contrário, a consulta do gênio era proibida.

Essa matéria 7 coisas que você não sabia sobre o misterioso projeto Manhanttan foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.