Ads Top

NASA realizará uma simulação de impacto de asteroide contra a Terra

Qual seria o impacto de um asteroide na Terra? (Foto: Pixabay)

 

Para descobrir as melhores estratégias para lidar com um possível impacto de um asteroide, a NASA e a FEMA (Agência Federal de Gestão de Emergências), se uniram a outras agências nacionais e internacionais. Para isso, elas criaram um cenário hipotético de um asteroide desde o momento que ele é visto pela primeira vez por astrônomos e como seria quando ele atingisse a Terra.

A simulação ocorrerá na Conferência de Defesa Planetária da Academia Internacional de Astronáutica, evento que começou na segunda-feira (29 de abril) e tem durção de cinco dias. "Por mais de 20 anos, a NASA e seus parceiros internacionais examinam  os céus para os NEOs, que são asteróides e cometas que orbitam o Sol e estão a 50 milhões de quilômetros da órbita da Terra", afirma a NASA em comunicado

Um exercício de uma emergência simulada é utilizado no planejamento do gerenciamento de desastres para ajudar a informar os participantes envolvidos sobre aspectos importantes de um possível desastre e identificar problemas para obter uma resposta bem-sucedida.Neste em particular, será apresentado um cenário fictício de impacto do NEO, desenvolvido pelo Centro de Estudos de NEO (CNEOS) do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA. 

Leia também:
Universo está se expandindo muito mais rápido do que o esperado
Imagens mostram cratera criada por sonda japonesa em asteroide

Os exercícios não são rigorosamente roteirizados, já que o ponto é investigar como todos os cidadãos — desde os cientistas até o restante da população — podem responder a uma previsão de impacto real e informações em evolução. Os eventos de exercícios acontecerão durante os cinco dias da conferência, com os líderes de exercício informando os participantes sobre o status do cenário no final de cada dia e solicitando ideias de resposta e feedback, com base nos dados ficcionais mais recentes.

A história fictícia é que, no dia em 26 de março, os astrônomos “descobriram” um NEO que consideram potencialmente perigoso para a Terra. Depois de alguns meses de rastreamento, os observadores prevêem que este NEO — apelidado de 2019 PDC — tem 1% de chance de impacto com a Terra em 2027.

Os participantes deste exercício discutirão possíveis preparações para missões de reconhecimento e deflexão de asteróides e planejamento para a mitigação dos efeitos de um impacto potencial.

A NASA participou em seis exercícios de impacto do NEO  até agora — três em Conferências de Defesa Planetária (nos anos 2013, 2015, 2017) e três em conjunto com a Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (FEMA). Cada exercício baseia-se nas lições aprendidas no exercício anterior.

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app Globo Mais para ler reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, a partir de R$ 4,90, e ter acesso às nossas edições.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.