Ads Top

Pegadas de ave gigante são encontradas na Nova Zelândia

Pegadas de ave moa são encontradas na Nova Zelândia, ao longo do rio Kyeburn (Foto: Museu Otago)

 

Um homem chamado Michael Johnson estava passeando com seus cachorros ao longo do rio Kyeburn River, na Nova Zelândia, quando encontrou pegadas muito bem conservadas de um pássaro gigante que foi extinto há cerca de 700 anos. 

A marca tinha 30 centímetros de comprimento e foi a primeira evidência da pesença de uma conhecida como moa: de acordo com registros históricos, o animal servia de alimento ao povo maori que ocupou o território que atualmente corresponde à Nova Zelândia. 

Curioso ao encontrar a pegada, Johnson enviou fotos para o Facebook do Museu Otago, que encaminhou a imagem para que curadores pudessem identificar a ave.

O curador assistente, Kane Fleury, junto a euipe de Ciência Natural do museu, usaram máscaras de mergulho e cameras para confirmarem que se tratava realmente de um moa.  “Esse achado é significante pois é o primeiro registro verificável de um moa no sul da Nova Zelândia”, afirmou ao site ILF Science.

Representação de como era a moa, ave extinta há cerca de 700 anos atrás (Foto: Wikipedia Commons)

 

 

Leia também:
+Ave leva tiro, picada de cobra, é roubada e volta sozinha para zoo
+Fenômeno raro faz pássaro extinto "renascer" em ilha do Oceano Índico

Segundo Fleury, a idade do sedimento onde a ave andou é de cerca de 1 a 11 milhões de anos, mas ainda não se sabe quando exatamente o moa teria pisado no local. Porém, o que se reconhece é que vestígios indicam que o animal teria andado vagarosamente pela lama e estava virado levemente à direita.

Esqueleto de uma ave moa, que foi exterminada com a chegada dos maores, povo nativo da Nova Zelândia (Foto: Museu Otago)

 

O curador contou que as maiores espécies dos moa pesavam 230 quilos e podiam esticar os seus pescoços em uma altura de até 3,6 metros. As aves se alimentavam de plantas, que adquiriram, por sua vez, adaptações evolutivas conforme serviam de alimento para os moas, que as mordiam com seus bicos afiados.

Em um comunicado, o Museu Otago anunciou que as cheias do rio Kyeburn River teriam encoberto as pegadas das aves. 

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app Globo Mais  para ler reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, a partir de R$ 4,90, e ter acesso às nossas edições.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.