Ads Top

7 fatos obscuros sobre Steve Jobs e a Apple

Há quase uma década atrás, Steve Jobs apresenta em um palco em San Francisco o primeiro iPhone. Um momento iminente que permitiu a ascensão do smartphone. O trabalho e os processos inovadores de Jobs o seguiram e o imortalizaram por boas razões: Jobs transformou os setores da comunicação, da música e dos games.

Foi inventor, empresário e magnata. Notabilizou-se como cofundador, presidente e diretor executivo da Apple Inc. Além de sua ligação com a Apple, foi diretor executivo da empresa de animação por computação gráfica, a Pixar, e acionista individual máximo da The Walt Disney Company.

No entanto, como qualquer outro grande líder, tinha suas falhas. Conheça sete fatos obscuros sobre Steve Jobs.

1 – Steve Jobs foi contra dar dinheiro à caridade

Depois de deixar a Apple, em 1986, Jobs começou a Steven P. Jobs Foundation, que fechou um ano depois. Após retornar a Apple, em 1997, Jobs fechou os programas filantrópicos da empresa e nunca mais os reintegrou, mesmo com os enormes lucros. De acordo com Mark Vermillion, que dirigiu a fundação de Jobs, ele não tinha tempo para empreendimentos filantrópicos.

2 – Os funcionários da Apple experimentam a cultura de medo

Sob o mandato de Jobs, a Apple criou um grupo chamado de Worldwide Loyalty Team, composto por um grupo de funcionários cuja função era espionar a sede, as lojas e os funcionários da Apple. De acordo com alguns relatos, quando alguma informação exclusiva vazava, a empresa confiscava telefones e computadores para descobrir a origem.

3 – A Apple intimidava a imprensa

Durante o comando de Jobs, a equipe jurídica da Apple ficou conhecida por intimidar jornalistas. Um desses casos ocorreu em 2005, quando a empresa entrou com uma ação civil contra o blogueiro Nick Ciarelli, que havia divulgado o Mac Mini antes de seu lançamento. O confronto legal só terminou depois que Ciarelli concordou em fechar seu blog.

4 – A empresa fazia tudo para obter o que queria

Em 2011, a empresa perdeu um protótipo do iPhone. O dispositivo, claro, foi rastreado. O local era a casa de Sergio Calderón, um jovem de apenas 22 anos. De acordo com Sergio, a Apple enviou uma equipe até a sua casa para verificar se o dispositivo estaria mesmo ali. O problema foi que os funcionários se passaram por policiais.

5 – A Apple contratava menores para trabalhar

As fábricas da empresa na China empregavam regularmente jovens de 16 anos para trabalhar. Ali, os funcionários trabalhavam por horas a fio. Alguns faziam turnos de 34 horas – com fábricas operando 24 horas por dia, sete dias por semana – para atender a demanda global dos produtos ofertados pela Apple.

6 – Funcionários sofriam abusos verbais

Steve Jobs tinha a reputação de ser um tirano. Em 2008, logo após o decepcionante lançamento do MobileMe, um sistema de e-mail que forneceria recursos de sincronização semelhantes aos do BlackBerry, Jobs desmoralizou publicamente a equipe responsável por sua criação.

7 – Steve Jobs demitiu pessoas sem aviso prévio

Durante seu mandato como presidente do Conselho de Administração da Pixar, a perda de lucros nos três empreendimentos da empresa – hardware, software e conteúdo animado – forçou Jobs a fazer uma rodada de demissões profundas. Jobs insistiu que os funcionários deveriam ser dispensados ​​sem aviso prévio ou indenização.

Essa matéria 7 fatos obscuros sobre Steve Jobs e a Apple foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.