Ads Top

Falando sobre transformação cultural antes da transformação digital

Imagem: Pixabay
Imagem: Pixabay Programa Inova 360

Por Vitor Massari

Em um de meus artigos anteriores, abordei um pouco sobre a questão da transformação digital. Embora seja um movimento do mercado, acabo observando que muitas empresas estão simplesmente “digitalizando” ou “automatizando” processos, operações e serviços que já não eram eficientes anteriormente.

Além disso, tecnologias obsoletas, falta de profissionais capacitados e, principalmente, a falta de uma cultura que incentive um trabalho mais colaborativo e focado no cliente final, ao invés de apenas cumprir metas departamentais e muitas vezes desfocadas do real valor a ser entregue ao cliente final.

Mas afinal de contas, o que é a cultura da empresa? E como mudá-la? Para isto, gostaria de utilizar a metáfora da história do “Experimento dos cinco macacos”.

Cinco macacos foram confinados em uma cela que simulava seu habitat natural com árvores, galhos e um grande cacho de bananas pendurado na parte mais alta da cela. Cada macaco que tentava pegar uma banana recebia um duro jato d’água comandado por uma pessoa do lado externo da cela e todos os macacos também eram punidos com o jato.  Em uma das tentativas, um dos macacos apanhou dos demais ao tentar pegar a banana e, logo, não foram punidos com o jato d’água.

A partir de todas as tentativas seguintes, este cenário se repetia. Foi realizado então um experimento de substituir um dos macacos por um macaco novo e, obviamente, o recém-chegado foi direto pegar a banana e apanhou dos outros quatro macacos para garantir que não seriam punidos com o jato d’água.

Os macacos foram substituídos gradativamente até termos cinco novos macacos e, embora estes cinco novos macacos nunca foram punidos com o jato d’água, eles replicaram um comportamento baseado nos processos existentes (disposição da cela) e no sistema de metas (não seriam punidos se não pegassem a banana) e construíram a sua Cultura.

Com base na metáfora acima, podemos concluir que cultura é uma “fotografia” de comportamentos gerados pelo instinto de sobrevivência do ser humano e que são regidos por dois fatores: os processos disponíveis e a maneira pela qual a pessoa é medida, ou seja, o sistema de metas. Já dizia Eliyahu Goldratt, autor do clássico livro de gestão A Meta (1986): “Diga-me como me mede e te direi como trabalho”.

 

Fonte: Triângulo de Sobrevivência de Massari – Hiflex Consultoria – 2019 – Todos os direitos reservados
Fonte: Triângulo de Sobrevivência de Massari – Hiflex Consultoria – 2019 – Todos os direitos reservados Programa Inova 360

Se queremos uma “nova cultura” precisamos criar um novo comportamento de sobrevivência mudando processos e, principalmente, reavaliando o atual sistema de metas. Como criar uma “cultura colaborativa” se o sistema de metas da organização premia a eficiência local e individual e não necessariamente a eficácia do todo? Como determinar que 2020 será o ano que a organização mergulhará profundamente em transformação digital se os processos são totalmente engessados e não privilegiam esta transformação?

Na perspectiva do sistema de metas, estamos falando sobre as motivações extrínsecas do ser humano. A perspectiva do processo está relacionada às motivações intrínsecas. Se o propósito de uma pessoa é trabalhar com inovação e o processo não privilegia isso, claro que haverá desmotivação, queda de rendimento e queda de resultado. O inverso também se aplica, uma pessoa que gosta de trabalhar de forma ordenada, com checklists de execução talvez não funcione bem em processos que privilegiam inovação e criatividade.

O desafio dos líderes da era da transformação digital é entender como regular o ambiente para gerarmos um novo comportamento de sobrevivência, consequentemente uma nova cultura e, consequentemente, uma base mais sólida e consistente para a transformação digital.

Sem dúvida alguma, esta transformação cultural deve fazer parte de uma estratégia de gestão de mudanças. Mas, definitivamente, não é algo simples de ser realizado. Como dica final, gostaria que convidar a todos os leitores a conhecerem um pouco da abordagem autoral 4Hands System Discovery® para a condução de gestão de mudanças na plataforma de streaming educacional Hiflix.

 

Vitor Massari assina coluna sobre Transformação Digital, no Inova360/R7, e tem quadro sobre o tema no programa de TV Inova360 na Record News. É CEO da Hiflex Consultoria e autor dos best-sellers “Gerenciamento Ágil de Projetos e Agile Scrum Master no Gerenciamento Avançado de Projetos” e “Gestão Ágil de Produtos com Agile Think® Business Framework”. Tem 20 certificações em inovação e transformação ágil e digital, é docente na área e venceu o Troféu Luca Bastos, no evento Agile Trends, por dois anos consecutivos.

LinkedIn: linkedin.com/in/vitormassari 

Instagram: @vitormassari 

Site: hiflexconsultoria.com.br 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.