Ads Top

Cápsulas de microbiota fecal podem ajudar obesos a manter perda de peso

Cápsulas de microbiota fecal podem ajudar obesos a manter perda de peso (Foto: Michal Jarmoluk/Unsplash)

 

Pode parecer estranho, mas pesquisadores da Universidade Ben-Gurion (BGU) de Neguev, em Israel, mostraram que consumir cápsulas do microbioma de suas próprias fezes pode limitar o ganho de peso durante uma dieta. O estudo foi publicado na Gastroenterology em 20 de agosto.

O grupo internacional de estudiosos realizou um estudo clínico de 14 meses para investigar o que pode ajudar voluntários com obesidade abdominal e dislipidemia (níveis anormalmente altos de colesterol e gordura no sangue) a manterem o peso após meses em dieta. "É bem sabido que a maioria das pessoas que faz dieta para perder peso atinge seu menor peso corporal após 4 ou 6 meses e são, então, desafiadas pelo platô ou fase de recuperação, apesar da continuidade da dieta", explica Iris Shai, professora de nutrição da BGU e da Universidade Harvard.

 

Por isso, os pesquisadores quiseram verificar se o consumo de microbiomas fecais pessoais e otimizados poderia ajudar os participantes dos testes a manterem a perda de peso mesmo após os 6 meses de dieta — quando, em tese, eles tenderiam a ganhar massa novamente.

Os participantes foram divididos em três grupos: os que seguiram orientações dietéticas saudáveis, os de dieta mediterrânea e aqueles que consumiram uma dieta mediterrânea verde. Após seis meses, 90 participantes elegíveis forneceram uma amostra fecal que foi transformada em cápsulas congeladas, opacas e inodoras de microbiotas otimizadas. Então, eles foram distribuídos aleatoriamente em grupos que receberam 100 cápsulas contendo sua própria microbiota fecal ou placebo. Os comprimidos foram consumidos até o 14º mês do estudo.

Em média, os 90 participantes perderam 8,3kg em seis meses. Durante essa fase, o grupo que apresentou uma maior mudança em seu microbioma foi o da dieta mediterrânea verde, que incluia nozes, chá verde e mankai (uma espécie de lentilha d'água) na alimentação.

Com o uso das cápsulas de microbioma fecal otimizado, esse grupo recuperou apenas 17,1% do peso perdido — contra 50% entre os participantes que consumiram placebo.

 

"A dieta mediterrânea verde também resultou na preservação de bactérias específicas associadas à perda de peso e vias metabólicas microbianas, principalmente o transporte de glicose, após a intervenção do microbioma, em comparação com o controle", disse Ehud Rinott, da Universidade de Tel-Aviv, que colaborou com o estudo.

Os pesquisadores ressaltam que esta é a primeira pesquisa do tipo a provar em humanos que a preservação de uma composição "ideal" da microbiota intestinal pode ​​ser usada para obter benefícios metabólicos. "Usar as fezes do próprio paciente após a otimização é um conceito novo que supera muitas dessas barreiras", afirma Ilan Youngster, diretor da Unidade de Doenças Infecciosas Pediátricas e o Centro de Pesquisa de Microbiome do Shamir Medical Center. Além disso, a dieta à base de plantas verdes, como mankai, melhora o microbioma para o procedimento de transplante de microbiota.

"Essas descobertas podem ter uma boa aplicação da medicina pessoal", diz a professora Shai. "Congelar um banco de microbioma pessoal pode ser uma maneira eficaz de manter um peso saudável durante a dieta, já que a fase de perda rápida de peso é acompanhada por um estado cardiometabólico ideal."

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.