Ads Top

Entenda o que são as massas de ar que aumentam o frio (ou o calor) no país

Massar de ar que passam pelo Brasil (Foto: Foto: Colégio Qi)

 

Entra ano, sai ano, e os moradores de diversas regiões do Brasil — principalmente do Sul e do Sudeste — enfrentam dias gelados por influência das chamadas massas de ar frio. Como o nome já diz, trata-se de grandes porções de ar cujas condições, como temperatura, pressão e umidade, são influenciadas pela região onde são formadas. Quando ela é "polar" significa que se formou no Polo Sul e por isso faz as temperaturas caírem (e, raras vezes, até nevar). 

Ao se deslocarem, as massas vão perdendo suas características. Mas, no caso das polares, como estamos relativamente próximos à Antartida, algumas regiões sentem esses fenômenos de maneira mais intensa, principalmente o Sul.

 

 

 

E não são só as massas de ar frio que chegam aqui no Brasil. Na verdade, o clima brasileiro praticamente depende do deslocamento dessas massas sobre nosso território, podendo gerar secas, chuvas, quedas na temperatura, entre outros fenômenos. 

Recebemos muitas massas de ar equatoriais, cuja formação ocorre nas baixas latitudes, próximas à Linha do Equador. Essas massas possuem altas temperaturas e, se são formadas em áreas oceânicas, são mais úmidas; se formadas em regiões continentais, são mais secas.

As massas tropicais (mTa e mTc) se formam em áreas próximas aos trópicos de Capricórnio e Câncer, entre as latitudes 25° e 30°. Normalmente, elas são úmidas, mas se formadas em áreas continentais, podem ser secas também.

 

 

 

Nesta semana, o país recebe uma forte massa de ar polar, que já está derrubando as temperaturas no Sul e no Sudeste brasileiros. De acordo com a Climatempo, por volta das 5 horas da manhã desta sexta-feira (21), o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) registrou temperaturas negativas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina; no sul do Paraná, os termômetros chegaram a 0°C.

Tendência de temperatura no país entre os dias 20 e 21 de agosto de 2020 (Foto: INMET)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segundo o INMET, nesta sexta o frio ainda avança rapidamento pelo país, chegando a Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, sul de Minas Gerais, Mato Grosso, sul de Goiás, Rondônia, Acre e sul do Amazonas.

*Com supervisão de Luiza Monteiro

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.