Ads Top

Estudo revela detalhes sobre monumentos de 7 mil anos na Arábia Saudita

Pesquisa revela detalhes sobre monumentos milenares na Arábia Saudita (Foto: Huw Groucutt)

 

Pouco se sabe sobre como viviam os humanos há alguns milênios onde hoje é a Arábia Saudita. Para tentar obter pistas, pesquisas têm se dedicado a estudar um tipo de estrutura de pedra conhecida como mustatíl. São monumentos enormes, construídos há aproximadamente 7 mil anos e que estão espalhados por todo o noroeste do país.

Essas construções também intrigam os especialistas, mas uma nova pesquisa liderada pelo Instituto Max Planck, na Alemanha, promete responder a algumas das perguntas dos cientistas. O estudo é uma análise detalhada dos monumentos e foi publicado no último dia 17 de agosto no periódico The Holocene.

 

 

Um único mustatíl é composto por várias pedras retangulares e, segundo os pesquisadores, era utilizado em atividades ritualísticas pelos primeiros pastores da região. O tamanho dos monumentos indica que provavelmente estavam entre os maiores do mundo criados naquela época.

Combinando pesquisa de campo à análise de imagens de satélite, os estudiosos descobriram mais de 100 novas estruturas e perceberam que um mustatíl normalmente consiste em duas grandes plataformas. Essas, por sua vez, são conectadas por longas paredes paralelas baixas e sem aberturas, com até 600 metros de comprimento.

Padrão geométrico pintado encontrado em um bloco que fazia parte da plataforma de um mustatíl (Foto: The Holocene)

 

Poucos objetos arqueológicos foram encontrados perto desses novos monumentos. Levando em conta o formato das estruturas, isso sugere que elas não eram utilizadas para armazenar água ou animais. Em apenas um mustatíl os cientistas encontraram ossos de animais, datados de 7 mil anos atrás.

Nessa época, o norte da Arábia Saudita era bem diferente, pois havia mais chuva e a área era coberta por pastagens e lagos, viabilizando a ocupação da região. O fato de que alguns  mustatís foram feitos lado a lado pode ser indício de que o próprio ato de sua construção era uma forma de interação social.

Buraco cavado na plataforma de mustatíl e ossos encontrados em um dos monumentos (Foto: The Holocene)

 

"Nossa interpretação dos mustatís é que eles são locais ritualísticos, onde grupos de pessoas se reuniam para realizar algum tipo de atividade social atualmente desconhecida", disse Huw Groucutt, um dos pesquisadores, em comunicado. "Talvez fossem locais de sacrifícios de animais ou festas."

 

Vista de dentro do maior mustatíl já identificado, com mais de 600 metros (Foto: The Holocene)
Uma plataforma de pedra em uma das extremidades do mustatíl (Foto: The Holocene)

 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.