Ads Top

Pandemia aumenta incidência de serpentes mortais na Austrália

Raymond Hoser dirige uma empresa de captura de cobras em Melbourne, na Austrália. Desde que entrou no segmento, ele afirma nunca ter recebido tantos chamados de serviço como agora

Em entrevista ao Daily Mail Australia, Hoser atribuiu o aumento da demanda a dois fatores decorrentes do bloqueio imposto para o controle do novo coronavírus

"As pessoas passam mais tempo em casa e pelos jardins, então ligam quando avistam uma cobra", explica

O outro motivo está no fato dos moradores aproveitarem o momento para realizar reformas: "Eles acabam desenterrando alguma cobra acidentalmente"

Veja também: Cérebros de homens e mulheres são iguais, segundo séculos de pesquisas

Isso porque durante o inverno, esses animais tentem a restringir a locomoção e a ficar a maior parte do tempo no subsolo

Vale o clique: Cientista sueco defende canibalismo como maneira de salvar o planeta

Hoser também faz um alerta para a "temporada de cobras" na Austrália, com início previsto para daqui a duas semanas

Esse é momento no qual esses animais começam a deixar os locais onde se abrigaram durante o clima frio

Leia mais: Rumor: WhatsApp funcionará em vários dispositivos ao mesmo tempo

O profissional especula que cerca de 95% das ligações farão menção sobre o avistamento de alguma espécie altamente venenosa, como a serpente-mocassim-cabeça-de-cobre (Agkistrodon contortrix) ou a cobra-marrom (Pseudonaja textilis)

Ainda na Austrália, especialistas encontram 19 cobras super venenosas na casa de uma família. Confira a seguir!

Especialistas em captura de cobras encontraram 19 filhotes de uma das espécies mais venenosas do mundo, em uma casa ao norte de Camberra, capital da Austrália

Veja também: Veja imagens do retorno dos astronautas da Nasa à Terra

De acordo com o serviço de notícias ABC News, foram necessárias cinco operações de resgate para realocar os pequenos projetos de cobra-marrom-oriental

Os dois primeiros filhotes vieram à tona quando a filha da dona da casa sacudiu uma toalha usada para bloquear a fumaça da lareira. Ao tentar impedir que um dos répteis descobertos atacasse o gato de estimação, ela acabou picada

Vale o clique: Conheça tecnologias que ganharam destaque durante a pandemia

Por sorte, a mãe da moça reconheceu a espécie, graças a um curso de conscientização sobre cobras realizado meses atrás. A vítima foi encaminhada ao hospital e os capturadores — que ministraram o treinamento — foram acionados pela primeira vez

Algumas semanas após o ataque, os especialistas receberam um novo chamado para darem conta de mais dois filhotes

Leia mais: Veja as curiosidades sobre o retorno à Terra dos astronautas da Nasa 

"Já havia sido um evento bastante intenso (a primeira vez), pelo fato da mulher ter sido picada", disse Gavin Smith, proprietário da ACT Snake Removal

E era apenas o começo, já que a família precisou acionar o serviço mais três vezes, totalizando cinco visitas e 19 capturas. Apesar do susto, a moradora que levou a picada avaliou a experiência como positiva

Veja também: Veja imagens enviadas pelos robôs que exploram Marte

"A equipe explicou às crianças que as cobras não estavam entrando furtivamente em casa. Isso realmente espantou a ideia de algo predatório", explicou. Tanto que um dos pequenos escolheu o que pretende fazer de faculdade: veterinária

Não saia daí: Veja dicas para não ser vítima dos golpes do auxílio emergencial

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.