Ads Top

Bolinho se transforma em "múmia" 8 anos após data de validade nos EUA

Bolinho múmia e um de seus irmãos; Ambos com oito anos desde a data de fabricação (Foto: Matt Kasson)

 

Você já se dispôs a comer algo fora da data de validade? Final de mês, despensa vazia e aquele bolinho de pacote sozinho na prateleira implorando para ser devorado. Muitos pensam na quantidade de conservantes químicos e botam o alimento pra dentro. Quem nunca?

Foi o caso do norte-americano Colin Purrington, um ex-professor de biologia da Pensilvânia: ele encontrou uma caixa dos chamados Twinkie, um bolinho vendido em pacotes semelhantes aos que se encontra em supermercados do Brasil, e resolveu saboreá-los. Acontece que eles haviam vencido em 2012. "Quando não há sobremesas em casa, você fica desesperado", disse Purrington à rádio NPR

 


Apesar do bolinho ter oito anos, parecia bom. O problema é que as aparências realmente enganam, e o Twinkie tinha gosto de “meia velha”, relatou o biólogo. A situação tomou um rumo ainda mais esquisito e interessante quando três dos nove alimentos restantes do pacote viraram objeto de estudo após Purrington postar sua descoberta no Twitter, perguntando aos internautas se aquilo era trabalho de um fungo ou bactéria. 

Um dos bolinhos era igual ao que ele havia experimentado; outro tinha um círculo marrom do tamanho de uma moeda; e o terceiro foi o mais impressionante: o exterior dourado se transformou em um massa marrom opaca com espirais endurecidas.

"Bolinho múmia" vira objeto de estudo nos EUA (Foto: Matt Kasson)

 




As imagens chamaram atenção inclusive de cientistas: Matthew Kasson e Brian Lovett, pesquisadores da Universidade do Oeste da Virginia, também nos EUA, disseram que o bolinho enrrugado parecia um "dedo de múmia". Os estudiosos fizeram uma espécie de biópsia nos três exemplares e colocaram amostras junto com alguns nutrientes que promoveriam o crescimento de qualquer fungo que tivesse colonizado os Twinkies.

Um dos bolinhos tinha um tipos de Cladosporium, que é um dos mais comuns no mundo presentes no ar em ambientes internos, de acordo com Kasson em entrevista à NPR. Mas o surpreendente veio a seguir: as amostras retiradas do Twinkie mumificado não apontaram nenhum fungo preocupante. Isso porque nem eles aguentaram a situação e morreram por falta de oxigênio ou alimento dentro da embalagem. 

 



Kasson e sua equipe pretendem examinar o bolinho com microscópio eletrônico, com uma ampliação 100 vezes maior. “Os fungos são frequentemente retratados como nocivos, como infecções fúngicas ou o fungo destruidor de sapos. Mas eles estão sempre lá em segundo plano fazendo seu trabalho, quebrando substratos complexos para outros organismos usarem. Eles estão na cerveja que bebemos, no pão que comemos — até queijo azul!”, ressaltou.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.