Ads Top

Estudo aponta que fundo do mar está acumulando lixo plástico

Um estudo conduzido por um grupo de cientistas australianos coletou amostras para calcular a quantidade de plástico nos Oceanos. Um robô submarino foi utilizado para explorar até 3.000 metros de profundidade em locais a até 380 quilômetros da costa da Austrália 

A primeira estimativa da presença de microplásticos, pedaços plásticos com menos de 5 milímetros, no fundo do mar sugeria que existência de até 14 milhões de toneladas desse material no oceano, mas o novo estudo científico obteve dados ainda mais preocupantes

“A poluição dos oceanos por plásticos é um problema ambiental reconhecido internacionalmente e os resultados de nossas pesquisas indicam a necessidade urgente de gerar soluções eficazes para remediá-la”, afirma a pesquisadora Denise Hardesty


"Neste trabalho encontramos até 25 vezes mais microplásticos do que o registrado em estudos anteriores em alto mar, e não acho que a área geográfica que estamos investigando seja a área mais contaminada com esse material", diz Hardesty

Nenhum canto do planeta está a salvo da poluição do plástico. As pesquisadores relatam a presença desse material sintético nos oceanos Árticos, no gelo marinho ao redor da Antártida e até nas águas mais profundas do mundo, a chamada Fossa das Marianas

Os microplásticos são difíceis de ver a olho nu devido ao seu tamanho minúsculo e ainda mais no fundo do mar profundo onde a luz não chega, mas podem ser visíveis na linha de detritos nas praias, na orla e no mar. trato digestivo da fauna marinha ”, explica Hardesty

Milhões de toneladas de plástico são jogadas no ambiente marinho anualmente, e a produção desse material e sua poluição devem aumentar nos próximos anos, apesar da crescente atenção da mídia, governos e ciência aos impactos do lixo plástico em ecossistemas marinhos, na vida selvagem e na saúde humana, de acordo com CSIRO, Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation

“Nesse tipo de pesquisa, é mais provável ver redes de pesca abandonadas, chamadas de‘ redes fantasmas ”, presas no fundo do mar, penduradas em estruturas, rochas ou corais”, afirma a pesquisadora. Esse é outro problema ambiental que tem como consequência a morte de diversos animais que ficam presos no fundo do mar

 Uma parte do lixo plástico fica no litoral, outra parte flutua na superfície da água e outro percentual, sobre o qual até agora havia poucas informações, cai no fundo do mar. Os pedaços maiores de plástico que permanecem no oceano podem se deteriorar e quebrar devido ao clima e às forças mecânicas das ondas, para finalmente se tornarem as pequenas partículas que se acomodam no fundo do oceano

 Outra parte do plástico marinho passa a fazer parte da cadeia alimentar. Pedaços maiores do material já foram encontrados no estômago de muitas espécies marinhas, como tartarugas ou albatrozes, enquanto os microplásticos podem ser comidos por pequenos seres marinhos, como o plâncton. até crustáceos e peixes que, por sua vez, são comidos pelas maiores espécies

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.