Ads Top

Risco de morte por Covid-19 pode até triplicar dependendo da comorbidade

Pesquisadores da USP em Ribeirão Preto encontraram o novo coronavírus se replicando no interior de células de defesa de pacientes internados com COVID-19. Experimentos com linfócitos infectados em laboratório mostraram que a entrada do vírus induz process (Foto: NIAD/NIH)

 

Um grande estudo de pacientes com Covid-19 confirmou que outras doenças, como hipertensão, diabetes, insuficiência cardíaca, doença renal crônica, derrame e câncer, podem aumentar em até três vezes o risco do paciente morrer por causa do vírus.

 

Os pesquisadores, da Faculdade Estadual de Medicina da Pensilvânia, nos EUA, afirmam que a descoberta, publicada na revista Plos One, pode ajudar as autoridades públicas a melhorar o atendimento a pessoas que estejam com o novo coronavírus e apresentem também outras condições de alto risco.

Aumento do risco de morte

Os pesquisadores descobriram que condições cardiovasculares, por exemplo, podem dobrar a probabilidade de um paciente morrer quando infectado pelo Sars-CoV-2, vírus causador da Covid-19. Eles também observaram que outras 10 condições pré-existentes podem aumentar o risco de morte pela doença em até três vezes, como diabetes, hipertensão, câncer, doença hepática e ser portador do vírus HIV.

Em nota, Paddy Ssentongo, estudante de doutorado e professor na Faculdade da Pensilvânia, afirma que "há uma alta prevalência de doenças cardiovasculares e hipertensão em todo o mundo e, em particular, nos Estados Unidos. Com a presença do coronavírus, essa relação se torna crucialmente importante."

Ssentongo e colegas analisaram dados de mais de 65 mil pacientes, com média de 61 anos, em quatro continentes: Ásia, Europa, América do Norte e África. Eles descobriram que certas condições de saúde afetam mais as taxas de sobrevivência do que outras quando se trata do novo coronavírus.

Os pesquisadores dizem que estudos anteriores explorando a associação de condições crônicas pré-existentes e mortalidade por Covid-19 tiveram limitações no número de países e estudos incluídos e na quantidade de condições exploradas. 

 

A pesquisa também sugere que o Sars-CoV-2 pode se tornar sazonal e exigir vacinação anual. “Assim que uma vacina aprovada e eficaz estiver disponível, os indivíduos de alto risco com essas condições pré-existentes devem receber prioridade de vacinação para prevenir altas taxas de mortalidade", acrescenta Ssentongo.

Mesmo que pesquisas adicionais sejam necessárias para compreender completamente os riscos e implicações para a saúde, particularmente na compreensão do impacto de raça e etnia nas taxas de sobrevivência por Covid-19, Ssentongo afirma que essas descobertas podem ajudar a na elaboração de estratégias globais de prevenção e tratamento.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.